• Redação

Ministério Público se manifesta contrário ao pedido de adiamento do julgamento de Djalma Filho

O Ministério Público do Piauí se manifesta contrário ao pedido do ex-vereador de Teresina, Djalma Filho, do adiamento do julgamento pelo Tribunal Popular do Júri, marcado para 25 de outubro deste ano, por, no mínimo, 30 dias.


Djalma é acusado de ser de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto, no ano de 1998.


Em manifestação juntada aos autos no dia 30 de setembro, o promotor Régis de Moraes Marinho afirma ser o pedido meramente protelatório.


Quanto ao pedido de extração de cópias da integralidade do processo referente aos demais acusados, incluindo e colocando todo o inteiro teor em pen drive, o promotor não se opôs.


Em relação ao pleito formulado pelo ex-vereador de saber, previamente, a profissão, endereço, grau de instrução e local de trabalho de cada jurado sorteado para compor o Conselho de Sentença, o promotor opina pelo indeferimento, em vista da imprevisibilidade legal, e em razão do fato demandar esforço que compete às partes e não ao Poder Judiciário.




0 comentário