• Redação

Polícia diz que pode ter uma quarta pessoa envolvida no crime dos menores


Atualizada 14h26


O delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Luís Guilherme, informou na manhã desta terça-feira (8) que a polícia investiga a participação de uma quarta pessoa na morte dos dois adolescentes encontrados na estrada de União.



O empresário João Paulo Carvalho, suspeito de participar do duplo homicídio dos adolescentes Luian Ribeiro e Anael Natan, em novembro do ano passado, foi preso por volta das 9 horas desta terça-feira (08) e levado à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). João Paulo não havia sido localizado mais cedo pelas equipes responsáveis por cumprir os mandados de prisão. Ele foi encontrado na casa da namorada, na zona leste da capital, após uma negociação intermediada pelo advogado Lúcio Tadeu, que representa os envolvidos no caso.


Além do empresário, as equipes também já cumpriram na manhã de hoje mandados de prisão contra Francisco das Chagas Sousa e Guilherme de Carvalho Sousa, tio e primo de João Paulo, também suspeitos de participação no crime.


Segundo o delegado Francisco Baretta, os três envolvidos deverão responder por diversos crimes, entre eles duplo homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual.


“A gente não tem dúvida que todos os três concorreram para a prática do crime, ou seja, nós temos um duplo homicídio, triplamente qualificado, um cárcere privado, ocultação de cadáver e fraude processual, um verdadeiro rosário de crime”, ressalta o delegado.


Sobre a dinâmica do homicídio, o coordenador-geral do DHPP relatou que os adolescentes foram torturados, espancados e depois mortos após serem flagrados no sítio do advogado Francisco das Chagas, tentando adentrar em uma festa no sítio do lado. No carro do empresário João Paulo, também foram encontradas manchas de sangue.


0 comentário