• Redação

Empresário acusado de matar advogado é preso em um restaurante de Parnaíba


O empresário maranhense, Norman Gonçalves de Sá, foi preso na noite desta quarta-feira (07), na cidade de Parnaíba, região Norte do estado. O empresário era fugitivo da justiça do Maranhão há quase 10 anos. Norman foi condenado a 26 anos e dois meses de prisão, acusado de ter mandado matar o advogado Almir Silva Neto, 41 anos, em dezembro de 2008, na cidade de Barra do Corda, no Maranhão. A motivação do crime, segundo as investigações, teria sido um caso amoroso do advogado com a mulher do empresário.

De acordo com os policiais militares que participaram da operação, no momento da prisão, o empresário estava em um restaurante com a filha e o genro. Mais três pessoas foram presas na cidade de Barra do Corda, acusadas de envolvimentos com o crime. José Vieira da Silva, o "Mansidão", apontado como o executor; Nilton Wiess, conhecido por “Otinha”, suspeito de ter dado apoio a José Viera; E uma suposta namorada do empresário, que teria sido usada como isca, para atrair o advogado para emboscada, identificada por Elaine Cristina Gonçalves.


Durante o tempo em que ficou foragido, Norman, chegou a utilizar vários desfaces. Segundo as informações, ele fez algumas cirurgias plásticas para tentar despistar a polícia.

Em 2019, o empresário também é acusado de ameaçar de morte o deputado estadual do Maranhão, Rigo Teles, os filhos de um desembargador e de um juiz.

Norman de Sá é empresário do ramo de postos de combustíveis em várias cidades do estado Maranhense. Após a prisão no restaurante, ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes, e em seguida para a Penitenciaria Mista de Parnaíba, onde espera para ser transferido para o Maranhão.




Com informações Portallitoral

0 comentário