• Liana Aragão

Covid-19: Hospitais públicos e privados suspendem cirurgias no Piauí


Com aumento do número de casos da Covid-19 no estado e a superlotação dos leitos nos hospitais públicos, o governador Wellington Dias (PT), decretou a suspensão de procedimentos cirúrgicos em todo estado do Piauí. Na capital, cerca de 1.500 pacientes com cirurgias previstas para o Hospital Getúlio Vargas, Hospital Infantil Lucídio Portela, Hospital da Polícia Militar, Hospital Universitário e Hospital São Carlos Barromeo serão remarcadas. Os casos considerados urgência e emergência e as cirurgias oncológicas, neurológicas e cardíacas serão mantidas.


Os hospitais da rede particular de Teresina também decidiram suspender as cirurgias eletivas depois que a lotação dos leitos destinados à pacientes de Covid-19 chegou quase a 100%. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi), na noite de quarta-feira (10), dos seis hospitais particulares da capital, apenas três leitos disponíveis de UTI.



O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), o médico Gilberto Albuquerque, explicou que hoje existem 43 pacientes em fila de espera por vagas em Teresina. Destas pessoas, 11 tinham plano de saúde, mas não conseguiram encontrar vagas na rede privada de saúde.

"A rede pública estadual e municipal está no limite do que pode oferecer. A rede privada, que trabalha com lucro, também já se exauriu", comentou Gilberto. Ainda segundo Gilberto, foram montados leitos de UTI improvisados em Unidades de Pronto Atendimento de Teresina para atender os pacientes que estão na fila de espera.


O Hospital Getúlio Vargas (HGV) deverá realizar a abertura de mais 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva. Com a abertura, o hospital passa a ter 80 leitos de UTI, sendo 20 destinados a outras patologias e 60 somente para pacientes com Covid-19.

0 comentário