• Liana Aragão

Ação Social Arquidiocesana dispensa parceria com a prefeitura de Teresina


A desavença parece que não teve trégua entre a Ação Social Arquidiocesana (ASA) e a Prefeitura de Teresina. Na manhã deste sábado (13), a assessoria de Comunicação da PMT, enviou uma nota comunicando que a ASA decidiu que não irá renovar os termos de colaboração que mantinha com o município para atendimento à população de rua e CREAS. Ainda segundo o comunicado, a prefeitura informa que foi uma decisão unilateral da instituição.


Sobre a nota da PMT, a ASA informou através da assessoria de imprensa, que não irá se pronunciar sobre o assunto.


Confira o comunicado na íntegra:


A prefeitura de Teresina foi surpreendida com a decisão unilateral da Ação Social Arquidiocesana (ASA) de não renovar os termos de colaboração que mantinha com o município para atendimento à população de rua e CREAS.


Ao tempo em que lamenta a decisão da ASA, a nova gestão municipal reconhece a eficiência do trabalho social mantido pela entidade na implantação de políticas públicas aos mais necessitados realizado ao longo de décadas em nossa cidade, o que deixa portas abertas para futuras parcerias.


A prefeitura de Teresina considera oportuno esclarecer que a decisão da arquidiocese de encerrar o contrato não afetará os serviços sociais custeados pela PMT, que irá buscar novas instituições a fim de que o atendimento a esse público não sofra descontinuidade.






Entenda o caso


A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), anunciou que iria reduzir 50% os repasses de recursos para os serviços de assistência social administrados pela Ação Social Arquidiocesana (ASA).


Durante a semana, o prefeito Dr. Pessoa, negou que a gestão tenha problema com a Igreja e que a prefeitura fará uma revisão dos contratos de parcerias firmadas entre o município e a Ação Social Arquidiocesana (ASA).


“É revisão do contrato. Olhar qual o melhor caminho para servir mais e melhor. Não queremos nos afastar ou ter alguma polêmica negativa com relação às igrejas sejam Evangélicas ou Católicas. Queremos mais e melhor. Chamamos para conversação e estamos abertos para o diálogo. Agora não vamos aceitar imposição”, afirma.


O arcebispo de Teresina, Dom Jacinto, também se manifestou sobre a polêmica após a denúncia de possíveis irregularidades nos contratos entre as instituições. " Declaro que a Asa abre as suas portas para quem desejar ter acesso as nossas prestações de contas", disse o arcebispo através de nota.


A SEMCASPI (Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas) informou ao Ministério Público do Piauí, no último dia 10, que acatou a recomendação conjunta emitida pela instituição ministerial e o MPT-PI (Ministério Público do Trabalho no Piauí) em relação à manutenção de todos os serviços socioassistenciais realizados em parceria com entidades privadas, de forma complementar, no padrão vigente na atualidade e sem qualquer redução de gastos.


0 comentário